Notícias Corporativas

2014janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulho
2013janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2012janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2011janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2010janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2009janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2008fevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro

21 jan 2014   Comunicados de Imprensa

Um ciberataque a ficheiros multimédia tem um custo médio para os europeus de 278 euros

Os cibercriminosos sabem o valor que estes ficheiros podem ter e por isso criam constantemente novo malware capaz de cifrar os dados de um disco rígido, impedindo o acesso do seu legítimo dono e, depois, pedem resgates pela sua “libertação”O custo médio a nível global é de 308 euros, passando para os 278 euros no caso europeu Um ciberataque que afecte especificamente ficheiros multimédia custa em média aos utilizadores 308 euros, de acordo com as conclusões do estudo “Consumer Security Risk” realizado pela B2B International em conjunto com a Kaspersky Lab, segundo o qual os consumidores que adquirem conteúdos digitais não tomam, de uma maneira geral, as medidas adequadas para se assegurar de que estão devidamente protegidos.Os utilizadores podem sofrer o desaparecimento de ficheiros de diferentes formas: através da perda física do dispositivo, por roubo ou em resultado de um ataque. Os cibercriminosos sabem o valor destes ficheiros e, por isso, desenvolvem constantemente novo malware capaz de cifrar os dados de um disco rígido para impedir o seu acesso por parte do legítimo proprietário e, depois, exigir-lhe um resgate pela sua devolução (ransomware).O estudo realizado mostra que a perda de dados que incluem conteúdos multimédia (cujo valor monetário não pode ser

17 jan 2014   Comunicados de Imprensa

Kaspersky Lab detecta 315.000 novos ficheiros maliciosos por dia, quase mais 60% que em 2012

O número de ataques baseados no browser duplicou face a 2012A simplicidade do sistema operativo Android torna-o no alvo perfeito para ataques de cibercriminososO nível global de ameaças na Internet cresceu em 2013 em 6,9 pontos, pelo que 42,6% dos computadores domésticos sofreram pelo menos um ataque. Em 2013, os cibercriminosos usaram 10.604.273 hosts, o que representa um aumento de 60,5% face ao ano anterior. Os Estados Unidos e a Rússia são os países líderes em recursos web maliciosos já que 45% dos ataques web neutralizados pelos produtos da Kaspersky Lab foram lançados a partir destes países.Em 2013 também se assistiu a um aumento nos problemas de segurança dos dispositivos móveis. Existe um maior nível de maturidade no que se refere à sofisticação e número de ameaças para este tipo de equipamento. A maioria das aplicações maliciosas tem como objectivo principal roubar dinheiro e dados pessoais. O sistema Android continua a ser o foco principal dos ataques, abarcando 98,05% do malware conhecido.Dia a diaA Kaspersky Lab detecta 315.000 novos ficheiros maliciosos por dia, mais 60% que em 2012, altura em que o número total era de 200.000. Em média, os produtos da Kaspersky Lab conseguiram bloquear 4.659.920 ataques online diários.O

09 jan 2014   Notícias de Vírus

Malware móvel cresceu 135% em 2013

O mundo do malware móvel assemelha-se cada vez mais ao das ameaças nos computadores pessoais quanto aos métodos e técnicas aplicadas pelos cibercriminosos. De acordo com o “relatório sobre as tendências em segurança TI em 2013” realizado pela Kaspersky Lab, o número de programas maliciosos móveis triplicou, alcançando em 2013 as 148.778 amostras de malware

05 jan 2014   Comunicados de Imprensa

Angry Birds: um exemplo entre muitos de cibervigilância da NSA feita através de apps

(NSA) teria acesso a um enorme volume de dados pessoais através de aplicações para dispositivos móveis, como o jogo Angry Birds ou o Google Maps, embora na realidade estes sejam apenas dois exemplos entre muitos. A cibervigilância passa assim a deixar de se focar totalmente centrando-se agora nos smartphones, que dispõem de muita informação pessoal dos seus utilizadores e, em muitos casos, estão totalmente desprotegidos.De acordo com Vicente Díaz, analista sénior de Malware da Kaspersky Lab, “a informação proporcionada por estas aplicações já provou ser muito valiosa para anunciantes e para os criadores das aplicações, pelo que também é fundamental para os serviços de inteligência. Muitos destes jogos permitem interagir com contactos e amigos, o que favorece a criação de redes de indivíduos, mais ou menos como as redes sociais, e todos estes dados são de grande relevância”.A última versão do Angry Birds pedia ao utilizador permissão para aceder à sua localização, ao estado do telefone e às SMS, entre outros - tudo isto aparentemente para fins publicitários, já que a aplicação apresenta anúncios durante o decorrer do jogo. Além disso, as mensagens do jogo e dos amigos podem ser fonte de informação similar às redes sociais.“Este cenário não seria

20 dez 2013   Comunicados de Imprensa

Falha no Safari põe em perigo credenciais de acesso armazenadas

Os analistas da Kaspersky Lab alertam para a detecção de uma vulnerabilidade no Safari. O browser da Apple, como muitos outros, pode restaurar as sessões de navegação prévias. Ou seja, todos os sites que estavam abertos na sessão anterior – até mesmo os que requerem autenticação – podem ser restaurados seguindo determinados passos quando se abre o browser. Esta opção pode ser cómoda para o utilizador, mas nada segura. Para que o browser saiba o que estava aberto na sessão prévia, a informação sobre essa actividade tem obrigatoriamente que ser guardada em algum lado. E é evidente que estará num sítio que não permita o acesso a qualquer pessoa e a informação está codificada. Mas o problema é que o Safari não codifica as sessões prévias e guarda-as num formato de ficheiro plist comum que é de fácil acesso. Por esse motivo, acaba por ser relativamente fácil encontrar as credenciais de início de sessão de um utilizador.A sessão autorizada completa do site é guardada no ficheiro plist, completamente à vista, apesar do uso de https no seu endereço. O arquivo em si encontra-se numa pasta oculta, mas que pode ser lida por qualquer pessoa, bastando activar a vista de pastas e

18 dez 2013   Notícias de Vírus

Roubo de dados e de dinheiro ou o bloqueio da infra-estrutura TI: os principais alvos dos ciberataques empresariais em 2013

RELATÓRIO CIBERAMEAÇAS B2B 2O13

13 dez 2013   Notícias de Vírus

Cuidado com as consolas e jogos online no Natal! Gamers foram alvo de 11,7 milhões de ataques em 2013

Lisboa, 13 de Dezembro de 2013• Grand Theft Auto V ou Minecraft foram alguns dos jogos mais usados pelos cibercriminosos em 2013• Kaspersky Lab dá-lhe 5 conselhos para jogar de forma seguraChega o Natal e com ele dispara a venda dos últimos modelos de consolas de jogos, como a PlayStation 4 e a Xbox ONE. Além disso, os dias livres desta época permitem aos jogadores passar mais tempo em frente ao ecrã, pelo que os riscos de sofrer um ciberataque crescem exponencialmente. De acordo com a Kaspersky Lab, foi detectado um total de 4,6 milhões de amostras de malware em jogos e o número total de ataques contra jogadores de todo mundo em 2013 foi de 11,7 milhões. Ou seja, por dia foram executados 34.000 ataques de malware relacionados com videojogos. Os jogadores mais atacados da europa foram os espanhóis (138.786 ataques de Janeiro a Novembro de 2013), seguidos da Polónia (127.509 ataques), Itália (75.080) e França (47.065). Os analistas da Kaspersky Lab dão uma série de conselhos para todos aqueles que queiram usufruir da sua consola ou dos seus jogos online de forma segura neste Natal.Tipos de ataquesOs jogadores enfrentam todo o tipo de ameaças digitais nos seus sistemas. Existem fóruns secretos

10 dez 2013   Comunicados de Imprensa

Kaspersky cria novo número gratuito de apoio aos clientes domésticos em Portugal

O objectivo é criar maior proximidade com os clientes nacionaisUm número gratuito que permite obter apoio técnico imediato e em portuguêsA Kaspersky Lab Portugal anuncia uma alteração no seu suporte a utilizadores domésticos, que passam agora a contar com uma linha telefónica gratuita para obter apoio técnico e esclarecer quaisquer dúvidas quanto ao funcionamento dos seus produtos Kaspersky.Desta forma, todos os clientes domésticos dispõem, a partir de agora, das seguintes formas de apoio:- Número de telefone gratuito: 210 027 412 Este número não é tarifado e encontra-se ao dispor dos utilizadores nos seguintes horários – das 9:00h às 13:00h e das 14:00h às 18:00h.- Número de telefone tarifado: 707 500 322 - Email: suporte@kaspersky.pt - Web: http://www.kaspersky.com/pt/support/tech_support/support_boxesDe acordo com Pedro García, Director de Suporte & Serviços da Kaspersky Lab, “os produtos da Kaspersky Lab são reconhecidos pelo seu elevado grau de fiabilidade e facilidade de instalação e utilização. No entanto, há sempre dúvidas que surgem e incompatibilidades que de vez em quando aparecem devido À existência de soluções de terceiros instaladas previamente nos sistemas dos utilizadores. Como tal, e tendo em conta que a Kaspersky Lab tem uma forte penetração no mercado doméstico português, era imprescindível criarmos uma linha directa de apoio a

05 dez 2013   Notícias Corporativas

Nova ameaça a utilizadores de banca online: Neverquest

Em Novembro já se registaram mensagens em fóruns de hackers sobre compra e venda de bases de dados para aceder a contas bancárias e outros documentosUm fundo de investimento parece ser o alvo principal, ainda que entre os objectivos apareçam também os sites de bancos alemães, italianos e turcosA Kaspersky Lab registou vários milhares de tentativas de infecção a computadores destinadas a realizar operações fraudulentas de banca online através de um programa malicioso cujo objectivo é, segundo os próprios criadores, atacar qualquer banco em qualquer país. O Trojan bancário Neverquest recorre a quase todos os truques possíveis utilizados para eludir os sistemas de segurança da banca online: web injection, acesso remoto ao sistema e engenharia social, entre muitos outros.O Neverquest apareceu no mercado com um anúncio publicado em Julho deste ano em que o autor procurava um parceiro para trabalhar com o Trojan nos servidores de um grupo de criminosos.Sergey Golovanov, analista da Kaspersky Lab, assinala: "Após terem sido resolvidos vários casos penais relacionados com a criação e proliferação do malware utilizado para roubar dados de sites de bancos, apareceram uns "buracos" no mercado negro. E os novos utilizadores maliciosos estão a tratar de enchê-los com novas tecnologias e ideias.

02 dez 2013   Notícias de Produtos

Kaspersky Lab lança nova solução de segurança para PMEs - Kaspersky Small Office Security

A Kaspersky Lab lança uma nova versão do Kaspersky Small Office Security, uma solução de segurança criada especialmente para pequenas e médias empresas

© 1997 - 2014 Kaspersky Lab

Todos os direitos reservados.