Scareware, o medo também é uma arma que os cibercriminosos usam para infectar dispositivos

25 jan 2013
Notícias de Vírus

Os cibercriminosos são cada vez mais engenhosos na hora de criar estratégias para tentarem infiltrar-se nos computadores das pessoas. Uma delas é o scareware, um software que se aproveita dos nossos medos para nos levar a realizar acções que põem em perigo a segurança dos nossos dispositivos.

Este tipo de programas entra nos equipamentos dos utilizadores e bombardeiam-nos com pop-ups que afirmam que um vírus atacou o sistema. Esta ameaça é verdadeira, mas não do modo como sugerem estes pop-ups. Depois, obrigam-nos a descarregar várias aplicações de segurança que eliminam os supostos vírus. Mas estes downloads são o esconderijo para o malware e podem mesmo desactivar o computador, impedindo a eliminação dos ficheiros maliciosos do equipamento.

O que pode fazer em caso de infecção por Scareware?

Os analistas da Kaspersky Lab dão alguns conselhos:

1. Comprender o problema
Não ignore as advertências. Mesmo se o conteúdo da mensagem é falso e o sistema não está na verdade infectado pelo vírus do aviso do scareware, existe realmente um vírus no computador, o mesmo que envia essas advertências. Nicolas Brulez, investigador sénior de malware da Kaspersky Lab, diz que “quando o utilizador digere a notícia e se dá conta que o seu equipamento tem, realmente, um vírus (scareware), já está na direcção certa para solucionar o problema”.

2. Nunca pague
Muitos destes programas pedem ao utilizador que introduza os dados do cartão de crédito, sob o falso pretexto de lhe disponibilizar um programa antivírus capaz de eliminará o vírus que, supostamente, entrou no computador. Nunca pague. Porquê? Primeiro, porque os burlões podem até dar-lhe acesso temporário ao sistema, mas voltarão a pedir-lhe mais dinheiro e, segundo, porque assim terá dado informação importantíssima do seu cartão a indivíduos que desejam roubar esses dados.

3. Encontre uma solução de terceiros
O programa scareware terá conseguido, provavelmente, desactivar o seu software antivírus, mas este pode funcionar de novo se for reinstalado, podendo assim detectar o vírus e eliminar o programa malicioso. Se isto não funcionar, existem ferramentas Premium gratuitas na Internet que apagam programas maliciosos.

4. Trabalho manual
Se as anteriores soluções automáticas não funcionarem, talvez tenha que eliminar o vírus manualmente. Uma vez averiguado o tipo de programa scareware que infectou o sistema, poderá encontrar tutoriais online que lhe servirão de guia. Se isto falhar, tente recuperar tudo o que possa; resgate a informação importante do disco rígido, formate e reinstale os sistemas operativos e aplicações para recuperar a função original do equipamento. Este processo é difícil e pode acarretar consequências. Utiliza-o sempre como último remédio.

5. Reinstale o software antivírus
Uma vez recuperado o sistema, reinstale um programa antivírus de confiança. Use-o para verificar e limpar o equipamento, porque muitos destes programas de malware instalam programas secundários que podem ser danosos.

6. Use actualizações de correcção
Agora que o sistema foi restaurado e desinfectado, assegure-se que o sistema operativo, programas e aplicações estão actualizados. Os programas de scareware aproveitam-se dos buracos na segurança dos sistemas operativos, browsers, plugins e aplicações. As últimas versões incluem sempre actualizações de correcção que solucionam estas falhas. Actualizar o software do sistema com a última versão é um bom método para manter a salvo o equipamento.

7. Navegue de forma segura
Os programas de scareware, precisam normalmente que o utilizador interaja com eles para entrar no sistema. Para se proteger, deve evitar links suspeitos (os links encurtados no Twitter e Facebook são o esconderijo perfeito para estes programas). Tenha cuidado com os anúncios pop-up que avisam sobre possíveis vírus ou com os verificadores antivírus online gratuitos. A única coisa que deve fazer é fechar os pop-ups assim que surgirem.

© 1997 - 2014 Kaspersky Lab

Todos os direitos reservados.