Os vírus do tipo “singletons” estão envolvidos em 60 a 70 por cento dos ataques de rede

22 set 2011
Notícias de Vírus

Nos últimos meses tem vindo a crescer o número de incidentes de segurança nas empresas. A rede de utilizadores da Playstation, da Sony, foi objecto de reiterados ataques, assim como o LastPass - o gestor de passwords online- cujos ataques foram notícia em todo o mundo pelo perigo que representaram para os certificados SSL. No entanto, uma análise mais detalhada à situação revela que os ataques foram especificamente dirigidos contra grandes fornecedores de serviços.

De acordo com a Kaspersky Lab, líder no desenvolvimento de sistemas de protecção contra software malicioso, ataques de hackers e spam, as epidemias de vírus contra computadores pessoais estão, hoje em dia, a tornar-se raras, dando cada vez mais lugar a ataques cirurgicamente dirigidos. Apesar disto, os especialistas da Kaspersky Lab vêm confirmar que o número de ameaças continua a crescer exponencialmente. Como é, então, isto possível?

Actualmente, uma das principais tendências em termos de ataques na Internet tem a ver com os chamados “singletons”. Os “singletons” ocultam malware que afecta no máximo dois computadores, não tendo por isso alcance massivo. Mas, apesar da sua natureza muito mais selectiva, os analistas de segurança estimam que os singletons estão por detrás de 60 a 70 por cento dos ataques de rede. Não obstante, esta ameaça não pode ser gerida com aplicação do método tradicional, ou seja, com a criação de um padrão de detecção apropriado (assinatura) para cada “praga”.

Hoje em dia, a Internet está a ser vítima de um verdadeiro tsunami de pragas. A Kaspersky Lab detecta cerca de 70.000 novas variantes de malware por dia e cerca de 200 milhões de ataques de rede por ano. Além disso, todos os anos são descobertas cerca de 2.000 vulnerabilidades de segurança em programas informáticos.

Os analistas da Kaspersky Lab publicam actualizações de assinaturas a cada hora do dia, 365 dias por ano. Sempre que necessário, as assinaturas podem ser inclusivamente actualizadas a cada minuto. As assinaturas oferecem protecção total contra as ameaças conhecidas, e os novos pacotes de segurança contam com processos optimizados que permitem distribuir as actualizações ainda mais rapidamente entre os seus utilizadores.

Hoje, a protecção contra ameaças desconhecidas é imprescindível. As suites de protecção contra malware da Kaspersky Lab monitorizam, por isso, o comportamento dos programas no computador. Se um programa se comporta de forma estranha – tentando aceder a secções protegidas do sistema ou transmitir dados, por exemplo – o bloqueador de comportamentos é activado para bloquear esta actividade. Esta monitorização também abarca tanto anexos de mensagens de email e ficheiros em programas de mensagens instantâneas, como páginas Web e scripts.

Acerca da Kaspersky Lab:

,p> Kaspersky Lab é a maior companhia antivírus da Europa. A Kaspersky Lab proporciona uma das protecções mais imediatas do mundo contra ameaças à segurança informática, incluindo vírus, spyware, crimeware, hackers, phishing e correio spam. A companhia está entre os quatro primeiros fabricantes mundiais de soluções de segurança informática para utilizadores finais. Os produtos e soluções da Kaspersky Lab proporcionam um dos tempos de resposta mais rápidos e níveis de detecção mais elevados da indústria, tanto para utilizadores particulares, pequenas e médias empresas e grandes corporações, como para ou ambiente informático móvel. A tecnologia da Kaspersky® também está incluída em produtos e serviços de outros criadores de soluções de segurança líderes da indústria informática. Leia mais na nossa página www.kaspersky.pt. Para conhecer as últimas novidades em antivírus, antispyware e outros aspectos e tendências em segurança informática, visite www.securelist.com.

© 1997 - 2014 Kaspersky Lab

Todos os direitos reservados.