Notícias de Vírus

2014janeirofevereiromarçoabril
2013janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2012janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2011janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2010janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2009janeirofevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro
2008fevereiromarçoabrilmaiojunhojulhoagostosetembrooutubronovembrodezembro

28 mar   Comunicados de Imprensa

Sete sintomas para saber se o seu smartphone Android está infectado

O sistema operativo da Google está a ser o principal objectivo dos cibercriminosos este ano. Hoje, o número de malware é seis vezes superior ao do ano passado e já alcançou as 140.000 amostras únicas. Mas afina, como podemos saber se o nosso dispositivo está infectado? E o que podemos fazer para o manter protegido?

12 fev   Comunicados de Imprensa

Kaspersky Lab descobre "A Máscara", uma das operações de ciberespionagem mais avançadas de sempre

Surge um novo factor de ameaça: os atacantes são de idioma hispânico e dirigem-se a instituições governamentais, companhias de energia, petróleo e gás, assim como a outras vítimas de elevado perfilJá se contabilizaram mais de 380 vítimas únicas entre mais de 1000 IPs. As infecções foram observadas em países como Espanha, Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, França, Alemanha, Gibraltar, Suíça, Tunísia, Estados Unidos ou VenezuelaPor vezes, os atacantes utilizam subdomínios nos websites para que pareçam mais reais. Estes subdomínios simulam as secções dos principais jornais de Espanha, bem como do "The Guardian" e do "The Washington Post"A equipa de investigação de segurança da Kaspersky Lab anunciou a descoberta de "A Máscara" (também conhecido como Careto), uma nova e avançada ciberameaça de fala hispânica que tem estado envolvida em operações globais de ciberespionagem pelo menos desde o ano 2007. O que torna especial a Máscara é a complexidade do conjunto de ferramentas utilizadas pelos atacantes. Inclui um programa malicioso extremadamente sofisticado, um rootkit, um bootkit e versões para Mac OS X e Linux e, possivelmente, para Android e iOS (iPad / iPhone).Os alvos principais foram instituições governamentais, representantes diplomáticos e embaixadas, além de companhias de energia, petróleo e gás, organizações

12 fev   Notícias de Vírus

Lista de aplicações maliciosas no Android chega aos 10 milhões

Em finais de Janeiro de 2014, a Kaspersky Lab havia já acumulado cerca de 200.000 amostras únicas de malware para dispositivos móveis, mais 34% desde Novembro passado, já que o número de programas maliciosos móveis registados há apenas dois meses era de 148.000 amostras

22 jan   Notícias de Vírus

Betabot: uma nova campanha maliciosa dirigida a organizações governamentais e educativas

Lisboa, 22 de Janeiro de 2014• Trata-se de um malware que espia e rouba dados do desktop das vítimas, regista as teclas premidas no teclado e faz capturas de ecrã. Além disso, rouba os cookies de browsers e envia-os aos cibercriminosos• Conta com funcionalidades backdoor e combate activamente o antivírus instalado localmenteA equipa de analistas GReAT da Kaspersky Lab descobriu uma nova campanha maliciosa dirigida principalmente a organizações governamentais e educativas na América Latina e Europa. Betabot é o nome deste malware que se difunde através de mensagens de correio electrónico falsas que simulam proceder da polícia chilena, ou seja dos Carabineros. Trata-se de um malware que espia e rouba dados do desktop das vítimas, regista as teclas premidas no teclado e faz capturas de ecrã. Além disso, rouba os cookies de browsers e envia-os aos cibercriminosos.De acordo com Dmitry Bestuzhev, analista da Kaspersky Lab, em Setembro de 2013, o FBI lançou um alerta acerca desta ameaça. No entanto, esta nova versão é diferente, já que esta rede de bots não é só utilizada por criminosos de idioma russo. Também as usam cibercriminosos da América Latina, já que, embora o host malicioso esteja localizado na Rússia, o domínio original foi comprado através

09 jan   Notícias de Vírus

Malware móvel cresceu 135% em 2013

O mundo do malware móvel assemelha-se cada vez mais ao das ameaças nos computadores pessoais quanto aos métodos e técnicas aplicadas pelos cibercriminosos. De acordo com o “relatório sobre as tendências em segurança TI em 2013” realizado pela Kaspersky Lab, o número de programas maliciosos móveis triplicou, alcançando em 2013 as 148.778 amostras de malware

18 dez   Notícias de Vírus

Roubo de dados e de dinheiro ou o bloqueio da infra-estrutura TI: os principais alvos dos ciberataques empresariais em 2013

RELATÓRIO CIBERAMEAÇAS B2B 2O13

13 dez   Notícias de Vírus

Cuidado com as consolas e jogos online no Natal! Gamers foram alvo de 11,7 milhões de ataques em 2013

Lisboa, 13 de Dezembro de 2013• Grand Theft Auto V ou Minecraft foram alguns dos jogos mais usados pelos cibercriminosos em 2013• Kaspersky Lab dá-lhe 5 conselhos para jogar de forma seguraChega o Natal e com ele dispara a venda dos últimos modelos de consolas de jogos, como a PlayStation 4 e a Xbox ONE. Além disso, os dias livres desta época permitem aos jogadores passar mais tempo em frente ao ecrã, pelo que os riscos de sofrer um ciberataque crescem exponencialmente. De acordo com a Kaspersky Lab, foi detectado um total de 4,6 milhões de amostras de malware em jogos e o número total de ataques contra jogadores de todo mundo em 2013 foi de 11,7 milhões. Ou seja, por dia foram executados 34.000 ataques de malware relacionados com videojogos. Os jogadores mais atacados da europa foram os espanhóis (138.786 ataques de Janeiro a Novembro de 2013), seguidos da Polónia (127.509 ataques), Itália (75.080) e França (47.065). Os analistas da Kaspersky Lab dão uma série de conselhos para todos aqueles que queiram usufruir da sua consola ou dos seus jogos online de forma segura neste Natal.Tipos de ataquesOs jogadores enfrentam todo o tipo de ameaças digitais nos seus sistemas. Existem fóruns secretos

30 nov   Notícias de Vírus

Milhões de dispositivos Android têm a aplicação Vulna instalada e podem ter caído nas mãos dos cibercriminosos

Lisboa, 30 de Outubro de 2013• Como muitas outras aplicações do género, o Vulna tem a capacidade de reunir informação confidencial como o conteúdo de mensagens SMS, o historial das chamadas, a lista de contactos, etc. do utilizador infectado• Também pode espiar através das redes WiFi, instalar um malware que o junta a uma botnet ou atacar os servidores do Vulna, podendo redireccionar o tráfego da rede para qualquer página controlada pelo hackerMuitas vezes, as aplicações “gratuitas” que descarregamos na loja do Google Play não saem assim tão “baratas”. Tal como acontece com todos os outros serviços online que não estão sujeitos a pagamento, a publicidade é a única forma de estes programas gerarem algum rendimento económico. Durante o processo de desenvolvimento das apps, o editor escolhe uma biblioteca de anúncios de uma determinada companhia que depois é embutida na app.Existe uma biblioteca de anúncios muito utilizada no Android (cujas funcionalidades violam a privacidade do utilizador e contêm uma grande quantidade de vulnerabilidades) que já registou mais de 200 milhões de descargas em aplicações do Google Play. Chama-se Vulna e o seu comportamento é tão imprudente que captou a atenção dos investigadores da FireEye, que analisaram esta rede publicitária.Como muitas outras bibliotecas

08 nov   Notícias de Vírus

Android 4.4 inclui novidades em segurança – Mas são realmente importantes?

Lisboa, 8 de Novembro de 2013• A fonte de infecção mais comum no Android continua a ser a mesma: as aplicações não oficiais descarregadas a partir de lojas de terceiros e, neste sentido, nada mudou• Mais de 25% dos utilizadores continua a usar o SO Android 2.3, já lançado há alguns anos, o que representa um grande problema de segurançaNo passado dia 31 de Outubro 2013, a Google lançava a versão 4.4 do seu popular sistema operativo Android. Entre os melhoramentos introduzidos, muitos estão relacionados com a segurança. Resta saber se, de facto, o Android 4.4 é realmente mais seguro que os seus antecessores.De acordo com a Kaspersky Lab, neste Android 4.4 ou KitKat as melhorias introduzidas em segurança dividem-se em duas categorias:1. Os certificados digitaisO Android 4.4 avisa o utilizador se uma autoridade de certificação (CA) for adicionada ao dispositivo, pelo que ajudará a evitar ataques Man-in-the-Middle. O Google Certificate Pinning fará com que só uma lista branca de certificados SSL possa ligar-se a determinados domínios do Google, tornando mais difícil para os cibercriminosos interceptar o tráfego de rede e os serviços do Google.2. Reforço do sistema operativoSELinux funciona em modo “enforced”, em vez de em modo “permisive”. Isto nega o

18 out   Notícias de Vírus

Como saber quando um antivírus é falso?

Os cibercriminosos estão sempre à procura de novas formas de enganar as suas vítimas. Uma das linhas de defesa para proteger o nosso dinheiro e dados pessoais é mantermo-nos atentos a possíveis enganos ou fraudes. Um desses casos é o dos falsos antivírus, que se escondem em websites, aparentando ser produtos autênticos para que os utilizadores mais incautos os descarreguem e instalem

← Previous   |   Top Of Page   |   Next →

© 1997 - 2014 Kaspersky Lab ZAO.

Todos os direitos reservados.