Novo caso de spam no WhatsApp evidencia a necessidade de instalar uma solução antivírus nos smartphones

14 jun 2011
Notícias de Spam

O WhatsApp, aplicação de mensagens instantâneas através do telemóvel, conta hoje com 250 milhões de utilizadores em todo o mundo. A sua popularidade tornou-o num alvo cada vez mais apetecível para os ciber-criminosos, que tentam obter os dados das suas vítimas através de diferentes tipos de ataques e esquemas.

O último foi uma campanha de spam que chegou aos utilizadores do Android e iOS, através da seguinte mensagem:

“Esta mensagem é para informar todos os nossos utilizadores de que os nossos servidores têm estado recentemente muito congestionados, pelo que estamos a pedir a sua ajuda para solucionar este problema. Necessitamos que os nossos utilizadores activos reenviem esta mensagem a cada uma das pessoas da sua lista de contactos, a fim de verificar quais os nossos utilizadores activos que utilizam o WhatsApp. Se não reenviar esta mensagem a todos os seus contactos do WhatsApp, então a sua conta permanecerá inactiva com a consequente perda de todos os seus contactos”.

Tal como confirma Vicente Díaz, Analista Sénior de Malware da Kaspersky Lab, “estamos perante um novo exemplo de phishing, cuja finalidade é adquirir informação confidencial dos utilizadores de forma fraudulenta, utilizando-se dois dos principais objectivo dos hackers nos dias de hoje: as redes sociais e os dispositivos móveis”.

Quando falamos de redes sociais, devemos ter em conta várias medidas básicas de segurança, independentemente se a ligação é feita a partir de um PC ou de um smartphone, já que os riscos são exactamente os mesmos:

  • Comprovar a configuração de protecção dos dados
  • Precaução com o que se publica nas redes sociais
  • Atenção aos pedidos de amizade recebidos, podem ser falsos
  • Proteger a própria identidade
  • Evitar ataques de malware através de mensagens do tipo “vídeo espectacular”

Ataques como o que sucedeu agora ao WhatsApp vêm comprovar a necessidade de instalar uma solução antivírus nos smartphones, tal como nos PCs, já que os ciber-criminosos têm como alvo preferencial estes dispositivos, que cada vez estão mais massificados e contêm um elevado volume de dados sensíveis.

De acordo com a Kaspersky Lab, em 2010 registou-se um aumento de 65% no número de programas maliciosos para smartphones, face a 2009. Estes números mostram, uma vez mais, a necessidade de instalar uma solução completa de software de segurança nos dispositivos móveis, mesmo que seja apenas para estar protegidos e poder fazer uma utilização segura da banca online móvel.

Convém, além disso, que esta solução não seja demasiado complicada de funcionar e que se adapte ao conceito das apps, na origem de grande parte do sucesso dos smartphones. Não existe tanto malware para as plataformas móveis como para Windows, mas a verdade é que, durante o último ano, estas ameaças têm crescido de forma alarmante.

Acerca da Kaspersky Lab:

Kaspersky Lab é a maior companhia antivírus da Europa. A Kaspersky Lab proporciona uma das protecções mais imediatas do mundo contra ameaças à segurança informática, incluindo vírus, spyware, crimeware, hackers, phishing e correio spam. A companhia está entre os quatro primeiros fabricantes mundiais de soluções de segurança informática para utilizadores finais. Os produtos e soluções da Kaspersky Lab proporcionam um dos tempos de resposta mais rápidos e níveis de detecção mais elevados da indústria, tanto para utilizadores particulares, pequenas e médias empresas e grandes corporações, como para o ambiente informático móvel. A tecnologia da Kaspersky® também está incluída em produtos e serviços de outros criadores de soluções de segurança líderes da indústria informática. Leia mais na nossa página www.kaspersky.pt

© 1997 - 2014 Kaspersky Lab

Todos os direitos reservados.