78% dos europeus considera o Facebook a rede social mais insegura de todas

20 set 2013
Comunicados de Imprensa

  • 75% dos europeus mostra-se preocupado com a perda de dados pessoais e 56% com o que outras empresas ou organizações fazem com os seus dados pessoais

  • 65% dos europeus já sofreu algum tipo de ataque financeiro

  • O custo médio derivado de um ataque de malware é de 50 euros e 24% dos afectados não conseguiu recuperar a totalidade do dinheiro roubado

  • 40% dos inquiridos acede ao seu banco on-line a partir do seu smartphone e 47% através do tablet, mas só 17% encripta a informação contida no seu dispositivo

 


A Kaspersky Lab apresenta alguns dos dados principais do seu “Relatório de Segurança Multidispositivo”1, elaborado a nível global em Junho de 2013 pela B2B Internacional, junto de 2545 utilizadores. Este estudo inclui, entre outras coisas, a análise à utilização que os utilizadores fazem da Internet e dos seus dispositivos, bem como às ameaças que enfrentam quando acedem à rede através do seu smartphone, tablet ou PC.

A verdade é que, de acordo com as conclusões agora apresentadas, 75% dos europeus mostra-se preocupado com perda de dados pessoais e 56% com o que outras empresas ou organizações podem fazem com os seus dados. Além disso, 45% sente-se também inquieto quando pensa no uso que os governos podem fazer da sua informação.

A segurança multidispositivo tornou-se em algo imprescindível, já que o 65% dos europeus já sofreu algum tipo de ataque financeiro, destacando os emails ou mensagens em redes sociais com links suspeitos (38%) e mails falsos de bancos solicitando informação financeira (38%), motivo pelo qual a Kaspersky Lab decidiu unir a segurança de todos os dispositivos no novo Kaspersky Internet Security Multi-Device. O custo médio derivado de um ataque de malware na europa é de 50 euros e o 24% não conseguiu recuperar a totalidade do dinheiro roubado.

 

O perigo móvel

De novo, os dispositivos móveis continuam a ser relegados para segundo plano em matéria de segurança on-line, já que o 80% dos utilizadores confessa que não instalou qualquer solução para proteger o seu smartphone ou tablet, pelo que o perigo é real. A utilização mais frequente destes dispositivos passa pelo acesso a redes sociais (67% smarphones – 68% tablets), mensagens instantâneas (59% smartphones – 44% tablets), e acesso a banca on-line (40% smartphones – 47% tablets) e só 17% encripta a informação do seu dispositivo.

A insegurança das redes sociais

A confiança e o comportamento nas redes sociais são um factor chave a ter em conta de acordo com os dados do relatório. De facto, só 28% dos inquiridos afirma sentir-se seguro nas redes sociais. Para 72% existem riscos de segurança e 47% confessa que não saberia distinguir uma conta atacada por hackers. Além disso, 14% confessa já ter caído na armadilha de clicar em links perigosos em contas de redes sociais comprometidas.

Para 78% dos europeus, o Facebook é a rede social considerada a mais insegura, seguida do Twitter com 35% e do Google+ com 19%.

Para os analistas da Kaspersky Lab, é fundamental proteger todos os dispositivos ligados à Internet com soluções de segurança adaptadas e actualizadas, para que os nossos dados não acabem nas mãos de qualquer cibercriminoso que possa aceder e utilizar de forma fraudulenta todos os dados pessoais, financeiros, etc.

1 Estudo realizado pela B2B International para a Kaspersky Lab em Junho de 213. O inquérito foi realizado em 19 mercados e envolveu um total de 2545 utilizadores da Internet